Philips investe 2000 milhões de Euros em inovação sustentável até 2015


Vendas de produtos sustentáveis da Philips registam aumento significativo em 2010

Fevereiro 18, 2011

A Royal Philips Electronics (NYSE: PHG, AEX: PHI) anunciou hoje que vai atribuir 2.000 milhões de euros em inovação sustentável até 2015, com o objectivo de aumentar os seus negócios nos três sectores da empresa nesta área. Em 2010, o investimento da Philips em inovação sustentável ascendeu a mil milhões de euros, superando e antecipando em dois anos a sua meta de investimentos nesta área. Como resultado do compromisso contínuo da empresa, 38% do total de vendas em 2010, foi gerada pelos designados “Produtos Verdes”, o que representa um acréscimo de 31% em relação a 2009.

 

“Encaramos a sustentabilidade como um caminho para o crescimento e como parte integrante do ADN da Philips”, afirma Rudy Provoost (Presidente do Conselho de Sustentabilidade da Philips e CEO da Philips Iluminação), que acrescenta “duplicando o nosso investimento em Inovação Sustentável até 2015, reafirmamos a nossa ambição em ser uma empresa saudável e que cria bem-estar, desenvolvendo soluções sustentáveis. Este compromisso reforça a nossa estratégia de crescimento Visão 2015, orientada pelas tendências globais, como a necessidade de produtos e soluções mais eficientes e sustentáveis”. 

 

O aumento das vendas em 2010 com produtos sustentáveis, foi possível fundamentalmente pelo enfoque contínuo da Philips em todos os sectores na área do Eco-design (um processo que visa desenvolver produtos com impacto ambiental significativamente baixo durante todo o seu ciclo de vida).

 

Entre os mais recentes lançamentos de produtos sustentáveis, no sector dos Cuidados de Saúde, destaca-se o Philips Essential, um sistema de monitorização de doentes, desenhado para melhorar o fluxo do trabalho clínico e a segurança do doente durante o transporte dentro do hospital e que proporciona a redução do uso de energia em 48%, 72% no peso do produto, 32% no peso da embalagem e incorpora uma bateria sem ácido.

 

No sector do Consumo e Estilo de Vida, o destaque vai para o televisor Econova, o primeiro em todo o mundo sem PVC/BFR, que recebeu a classificação energética da União Europeia de “A+” e o prémio EISA para o melhor televisor “verde” 2010/2011.

 

O sector da Iluminação contribuiu quase com metade das vendas Philips em produtos sustentáveis e continua a dar passos importantes nesta área, de que é exemplo o lançamento da EnduraLED de 12 watts, o primeiro substituto industrial para uma lâmpada incandescente de 12 watts. Esta inovação foi reconhecida pelo Tomorrow Awards da Associação Americana de Iluminação com o primeiro prémio na categoria de LED de substituição de lâmpadas tendo sido também eleito “Produto do ano 2010” pela prestigiada revista Science.  

 

O relatório de sustentabilidade integra o relatório Anual da Philips 2010, e encontra-se disponível em http://www.annualreport2010.philips.com

 

Para mais informações:

Ángeles Barrios

Directora de Comunicação, RRPP y RSC

Philips Ibérica S.A.U.

E-mail: angeles.barrios@philips.com

Tel.+ 34 91 566 90 40

 

Beatriz Jiménez

Comunicação, RRPP y RSC

Philips Ibérica S.A.U.

E-mail: beatriz.jimenez@philips.com 

Tel. + 34 91 566 91 86

 

Ana Cristina Costa

Ipsis

E-mail: Cristina.costa@ipsis.pt

Tel + 351 96 486 50 20

 

 

Sobre os produtos sustentáveis da Philips

Os produtos sustentáveis oferecem uma melhoria significativa para o meio ambiente numa das áreas da sustentabilidade mais importantes: eficiência energética, embalagens, substâncias perigosas, peso, reciclagem e eliminação de resíduos, assim como a fiabilidade ao longo de todo o ciclo de vida do produto.

 

A abordagem do ciclo de vida é utilizada para determinar a melhoria para o meio ambiente de um determinado produto. Esta abordagem passa pelo cálculo do impacto ambiental de um produto durante todo o seu ciclo de vida (matérias-primas, fabrico, utilização do produto e eliminação do mesmo).

 

Os produtos sustentáveis precisam de contar com, pelo menos numa das áreas “verdes”, com uma pontuação melhor (pelo menos em 10%) que o produto de referencia (que pode ser um produto da concorrência ou o seu antecessor na família de produtos em questão). Devido às diferentes categorias de produto, os três sectores de negócio da Philips estabeleceram critérios adicionais para os seus respectivos produtos “verdes”.

 

Royal Philips Electronics

A Royal Philips Electronics da Holanda (NYSE: PHG, AEX: PHI) é uma empresa cujas actividades cobrem todos os aspectos de Cuidado de Saúde e Bem-estar, com o objectivo de melhorar a qualidade de vida das pessoas, proporcionando-lhes as necessárias inovações no momento certo. Como líder global em cuidado de saúde, consumo e estilo de vida e iluminação, a Philips integra tecnologia de ponta e soluções de design contemporâneo, sempre desenvolvido em torno das necessidades das pessoas e com base num conhecimento profundo do consumidor e na sua promessa de marca "Sense and Simplicity". Com sede na Holanda, a Philips emprega aproximadamente 119.000 funcionários em mais de 60 países. Com um volume de negócios de 25.400 milhões de euros em 2010, a companhia é líder global em soluções para cuidados críticos,  problemas cardíacos e telemonitorização, em soluções para iluminação baseadas na eficiência energética e novas aplicações de iluminação, bem como soluções de consumo para melhorar a qualidade de vida e lazer das pessoas, com uma sólida posição de liderança em Flat TV, barbear e cuidados masculinos, sistemas portáteis de entretenimento e saúde oral. Pode obter mais notícias da Philips em www.philips.com/newscenter ou www.philips.pt.

 

Declarações Prospectivas

Este documento pode conter declarações prospectivas relativas à situação financeira, resultados de operações e negócio da Philips assim como alguns dos planos e objectivos da Philips relativamente a estes itens. Pela sua natureza, as declarações prospectivas envolvem riscos e incertezas porque estão relacionadas a eventos e dependem de circunstâncias que ocorrerão no futuro e há muitos factores que podem causar resultados e desenvolvimentos diferentes daqueles expressos ou implícitos nessas declarações prospectivas.