Centro de notícias | Portugal

"Cuidados de Saúde como Serviço": de que forma funciona este conceito como modelo empresarial e de prestação de cuidados de saúde

ago 25, 2021 - Reading time 4-6 minutes
Publicação concebida pela Insider Studios em colaboração com a Philips.
  • A COVID-19 revelou algumas das limitações dos sistemas de saúde.
  • Um modelo de "Cuidados de Saúde como Serviço" (HaaS, Health as a Service) proporciona um potencial enquadramento empresarial virado para o futuro.
  • O HaaS, com aplicações em todo o mundo, pode ajudar os prestadores de cuidados de saúde a escalarem os cuidados de forma eficiente.


O futuro dos cuidados de saúde mudou devido à COVID-19. Acima de tudo, a pandemia expôs a incapacidade do atual sistema de saúde para fazer face a um súbito aumento da procura. Se quisermos aprender com a crise, será imperativo reinventarmos e construirmos um ecossistema de saúde sólido, preparado para o futuro.

 

Durante a pandemia, os sistemas de saúde adaptaram-se a novos métodos de prestação de cuidados. Estas mudanças só poderão ser sustentáveis se conseguirmos estabelecer e manter parcerias com outros intervenientes no setor.

Healthcare-as-a-Service

Imperativos para o futuro sucesso na prestação dos cuidados de saúde

Para os profissionais de saúde, a preparação para a era pós-COVID-19 começa pela avaliação da forma de enfrentar os complexos desafios em todo o setor. A telemedicina e a saúde digital desempenharão certamente um papel de relevo na prestação de cuidados de saúde. É imperativo um acesso mais alargado às opções virtuais neste setor. Entre outras iniciativas, refira-se a digitalização de cuidados, os cuidados baseados no valor, a integração de ecossistemas e um modelo de "Cuidados de Saúde como Serviço" (HaaS).

 

O conceito de HaaS, tal como foi concebido conjuntamente pela Philips e pela VPS Healthcare, um dos maiores grupos de saúde dos Emirados Árabes Unidos, garante um sistema com poucos ativos físicos, baseado nas despesas operacionais, que permite aos pacientes receberem os cuidados necessários na altura devida, sem esgotarem os recursos do sistema de saúde. Dada a recetividade pós-pandémica a novos métodos de prestação de cuidados e de cuidados virtuais, os profissionais de saúde poderão alargar o seu leque de oportunidades de colaboração, concentração de recursos e análise de modelos de negócio mais escaláveis, como o HaaS.

 

"Aprendendo com as crises atuais, deveremos reinventar e construir um ecossistema de saúde sólido que satisfaça as necessidades de todas as populações no futuro", afirmou o Dr. Shamsheer Vayalil, presidente e diretor executivo da VPS Healthcare. "Os Cuidados de Saúde como Serviço constituem um modelo ideal que deverá ser adotado, pois protege a infraestrutura global contra eventuais ameaças à saúde, como no caso da atual pandemia."

A oportunidade do HaaS

Com o modelo de HaaS, os prestadores de cuidados de saúde poderão subscrever uma vasta gama de serviços, o que lhes permitirá reforçar a acessibilidade dos cuidados de forma rentável, dinâmica e expedita, bem como introduzir melhorias incrementais e consistentes, subordinadas aos seus recursos e aos objetivos do negócio. Entre os seus principais benefícios, refira-se a flexibilidade do sistema de pagamento conforme a utilização, bem como a melhoria da experiência do paciente, dos desfechos clínicos, do fluxo de trabalho e da satisfação do pessoal — todos eles componentes importantes do Quádruplo Objetivo de melhorar a experiência do paciente e do pessoal e os desfechos clínicos, reduzindo simultaneamente o custo da prestação de cuidados.

 

O HaaS poderá ter aplicações em todo o mundo, pois permite a múltiplos parceiros codesenvolver soluções e serviços mais eficientes. Por exemplo, os Emirados Árabes Unidos, devido à sua localização privilegiada entre a África, a Índia e a Ásia, poderão constituir um centro estratégico para soluções de HaaS. O conceito, porém, poderá ser igualmente aplicado a outros mercados ou regiões para garantir que os respetivos sistemas de saúde estejam preparados para futuras crises e alterações imprevisíveis da procura, ou para obstáculos súbitos e inesperados e perturbações na prestação de cuidados de saúde.

3 exemplos de aplicação do HaaS
 
Já existem soluções prontas para suportar um modelo de HaaS, incluindo a monitorização remota de pacientes; um centro de comando para cuidados colaborativos; cuidados telecríticos; telerradiologia; aplicações de saúde em locais comerciais; e financiamento de cuidados de saúde. Analisemos com mais atenção alguns deles.
 
Cuidados telecríticos
 
As soluções de cuidados telecríticos, concebidas para serem altamente colaborativas, oferecem prestadores centralizados e vigilância clínica remota por profissionais qualificados. É como termos "mais um par de olhos" atentos aos sinais vitais dos pacientes. Estas soluções podem oferecer experiência clínica e algoritmos próprios que proporcionam alertas iniciais sobre os cuidados pró-ativos e uma melhoria programática contínua. Este modelo colaborativo centralizado ajuda a reforçar o acesso a cuidados especializados em locais remotos e transforma a equação custo-cuidados.
 
Telerradiologia
 
Já amplamente utilizada, a telerradiologia permite a obtenção de imagens num local e a sua posterior transmissão à distância e visualização remota, para fins de leitura de diagnósticos ou consulta, incluindo orientações sobre os próximos passos no processo de prestação de cuidados. Por exemplo, a solução Centro de Comando de Operações de Radiologia da Philips tira partido desta acessibilidade fornecendo uma plataforma multimodalidade que funciona em várias instalações de imagiologia, permitindo um modelo eficiente de hub and spoke no segmento da imagiologia. Graças a esta solução, as equipas de prestação de cuidados podem colaborar em toda a empresa e nas redes de imagiologia e aplicar os seus conhecimentos especializados nos seus principais centros, tornando-os disponíveis em todas as suas instalações.
 
Cuidados de saúde em locais comerciais
 
Dado que a situação pandémica incrementou a telessaúde e os cuidados virtuais em ambiente extra-hospitalar, a introdução de pequenos quiosques ou módulos de bem-estar em locais comerciais, ligados a plataformas de maior dimensão, poderá aumentar o acesso e alargar a cobertura. Os módulos poderão constituir uma forma prática de prestar uma vasta gama de serviços de saúde não intensivos, incluindo cuidados presenciais, virtuais e preventivos. Entre os principais fatores que possibilitam esta abordagem, refira-se a tecnologia de sensores portáveis, conjugada com análises preditivas, digitalização e sistemas interoperáveis que facilitam a partilha de dados em todo o setor.
 
A VPS Healthcare já está a explorar este conceito de "cuidados de saúde em locais comerciais", com alguns quiosques de bem-estar em centos comerciais nos Emirados Árabes Unidos. A Estação de Tratamento Virtual da Philips, integrada no ATLAS (Promoção da Telessaúde por meio de Estações de Acesso Local) do Gabinete de Apoio aos Veteranos dos Estados Unidos é uma potencial solução de telessaúde de base comunitária para posterior desenvolvimento.
Healthcare-as-a-Service

Novos métodos de prestação de cuidados com um modelo de negócio escalável

 

À medida que começamos a vislumbrar lentamente o futuro pós-pandémico da prestação de cuidados de saúde, é provável que os profissionais de saúde procurem oportunidades de aliar a experiência e conhecimentos dos fornecedores de tecnologia à dos operadores clínicos, para aumentarem a eficiência e alargarem o âmbito da prestação de cuidados. Este tipo de parcerias pode cocriar soluções combinadas para terceiros que ofereçam valor real aos pacientes, reguladores e utentes. Modelos multifornecedor, como o HaaS, poderão ajudar a evitar a duplicação de recursos e garantir a flexibilidade e escalabilidade da prestação localizada de cuidados durante futuras crises e calamidades.

 

"A recetividade pós-pandémica a novas formas de trabalho representa uma oportunidade para várias organizações poderem concentrar recursos e conhecimentos", afirmou Vincenzo Ventricelli, CEO da Philips para o Médio Oriente, Turquia e África. "Juntamente com a VPS Healthcare, consideramos que os "Cuidados de Saúde como Serviço" são o rumo a seguir. Os diferentes intervenientes no ecossistema dos cuidados de saúde poderão trabalhar em conjunto para prestarem cuidados de saúde mediante pedido."

 

Obtenha mais informações sobre o conceito de "Cuidados de Saúde como Serviço" e descubra as oportunidades na nova conjuntura no nosso relatório técnico "Above and Beyond: Reshaping Healthcare After COVID-19". Vamos ajudá-lo a liderar.