Inquérito da Philips, no Dia Mundial do Sono, revela que o sono é uma prioridade para todas as pessoas do mundo

 

  • Pesquisa conclui que apenas 1 em cada 10 adultos em todo o mundo valorizam mais o seu trabalho do que uma boa noite de sono
  • Enquanto 9 em 10 adultos globalmente acreditam que o sono é crucial para a sua saúde e bem-estar geral, no entanto 8 em cada 10 adultos priorizam passar tempo com seu cônjuge / parceiro, família, amigos e trabalho, sobre uma boa noite de descanso 

17 de março de 2017

Royal Philips (NYSE: PHG, AEX: PHIA) lançou hoje os resultados do inquérito "Unfiltered Sleep: A Global Prioritization Puzzle", que mostra os resultados de uma pesquisa internacional realizada online em fevereiro deste ano pela Harris Poll, em nome da Philips. A pesquisa analisa como 6.461 adultos em cinco países (Estados Unidos, Países Baixos, Alemanha, França e Japão) percebem e priorizam o sono, bem como como o sono afeta as suas responsabilidades diárias, do trabalho aos relacionamentos e hobbies. A pesquisa revela que, embora haja pouco debate sobre o valor do sono, as pessoas estão sujeitas a demasiadas exigências diárias que competem pelo seu tempo, deixando o sono de parte na sua lista de prioridades diárias. Através destas descobertas, a Philips, líder global em cuidados respiratórios e de sono, pretende iniciar uma conversa sobre um pilar importante e ainda hoje esquecido da saúde e do bem-estar geral: a saúde do sono.

 

Dormir bem é essencial para uma boa saúde e, além de comer bem e se exercitar, é uma das peças-chave para manter um estilo de vida saudável. Mas como as prioridades diárias mudam e o tempo se torna escasso, o sono é frequentemente o primeiro a ser empurrado para o fundo da lista. De fato, a pesquisa da Unfiltered Sleep da Philips revela que mais de 8 em cada 10 adultos em todo o mundo (84%) confessa que atividades como a vida amorosa, passar tempo com a família, amigos e o trabalho, têm precedência sobre uma boa noite de sono.

 

"O sono é vital na equação do" estilo de vida saudável ", mas é muitas vezes deixado de lado como menos importante em comparação com outros elementos fundamentais, como comer bem ou fazer exercício", afirma o Dr. Teofilo Lee-Chiong, Clínico do sono e Chief Medical Liaison, na Philips. "Precisamos começar a pensar na saúde e bem-estar como uma mesa com quatro patas, cada uma delas representando nutrição adequada, exercícios, saúde mental positiva e sono - se estamos nos focamos apenas na dieta e no exercício, a mesa vai ficar descalça. Apenas uma única noite mal dormida pode impactar nosso desempenho, segurança e sensação de bem-estar - imagine o que pode acontecer se a situação se prolongar ao longo de meses ou anos com uma má qualidade de sono. 

 

Reconhecemos a importância do sono

 

Nesses cinco países, há pouco debate sobre a importância do sono e como contribui para o bem-estar geral. De fato, 92 por cento dos adultos globalmente dizem que o sono é crucial para sua saúde e bem-estar geral, enquanto muitos adultos também fazem uma conexão direta entre a qualidade do sono e a qualidade de vida e relacionamentos. Alguns dos principais resultados incluem:

 

  • Acreditamos que o sono é importante nos relacionamentos: Aproximadamente três quartos dos adultos em todo o mundo (74%) dizem que dormir bem é a chave para um casamento feliz. Isto é especialmente evidente no Japão (89%), seguido pelos Estados Unidos (79% e os Países Baixos (71%).
  • Depois de uma noite mal dormida, o impacto negativo é imediato: Mais de 8 em cada 10 adultos globalmente (82%) sofrem impactos negativos após apenas uma má noite de sono. Adultos na França (87%) e Japão (86%) são mais suscetíveis de sentir impactos negativos. Os três principais impactos negativos relatados pelos adultos no mundo são: sensação de cansaço ​​(40%), redução da produtividade (37%) e desmotivação (35%).

 

 

Ainda existe uma lacuna entre reconhecimento e realidade

 

Mais de 8 em cada 10 adultos em todo o mundo (84%) dizem que algo nas suas vidas é mais importante do que ter certeza de que dormem bem. As principais conclusões incluem:

 

  • Preferem passar tempo com a família do que dormir uma boa noite de sono: Cerca de metade dos adultos na França (53%), juntamente com pouco menos da metade dos adultos nos EUA (46%) e na Alemanha (48%), dizem que passar tempo com a família é mais importante do que uma boa noite de sono.
  • O sono é mais importante que as responsabilidades do trabalho ... exceto nos EUA: Embora apenas 1 em cada 10 adultos empregados priorize seu trabalho face a uma boa noite de sono, esta pressão laboral parece ser ligeiramente maior nos EUA (13% versus 10% em cada um dos outros 4 países).
  • Ver televisão é geralmente a última coisa que muitas pessoas fazem antes de ir dormir: Adultos globalmente variam em como eles passam seu tempo antes de ir para a cama, mas a televisão é de longe a atividade de eleição (28%). E apesar de toda a literatura que os ecrãs devem ser desligados muito antes de ir dormir, quase metade dos adultos (47%) dizem que a televisão é última coisa que fazem antes de ir descansar. 

 

Reconhecer o impacto da qualidade do sono é importante, mas tomar medidas para mudar ativamente as perceções negativas do sono é outra história", disse a Dra. Aloia, líder mundial em mudanças comportamentais, da Philips. "Particularmente nos EUA, temos a perceção de que dormir quando poderíamos estar a trabalhar é negativo, enquanto outras culturas têm seus próprios desafios no que se refere ao incluir o sono nas suas prioridades diárias. A final de contas, a saúde do sono é vital para a saúde e para equação de bem-estar, e temos que começar a encara-lo como um pilar fundamental de saúde".

 

Participe no chat global

 

A Philips acredita que um bom sono é imprescindível para o nosso bem-estar e produtividade geral, mas é muitas vezes desconsiderado. As pessoas acabam por sentir constrangimento quando recebem um diagnóstico de apneia do sono, não dar a devida importância em como dificulta o seu dia-a-dia e afeta a sua produtividade, e o sono acaba por adquirir uma conotação negativa quando deveria considerar-se um pilar de saúde. É por isso que, à margem deste inquérito do Dia Mundial do Sono, a Philips está lançar um movimento social que incentiva as pessoas de todo o mundo a partilhar orgulhosamente, nas redes sociais, os seus rituais ou preparativos para uma boa noite de sono com um #UnfilteredSleep selfie com o objetivo de consciencializar para os benefícios do sono na saúde pessoal. Os requisitos para participar nesta iniciativa são:

 

  • Tire uma selfie antes de ir dormir;
  • Postá-la para Instagram ou Twitter com o hashtag #UnfilteredSleep;
  • Tag amigos e desafiá-los a fazer o mesmo.

 

Além de aumentar a sensibilização através da educação sobre a importância do sono, a Philips está continuamente a inovar em soluções que promovem a qualidade de sono- desde dispositivos clínicos desenhados para ajudar pessoas com distúrbios do sono, até soluções de iluminação para ajudar as pessoas a começar seus dias com luz natural. Para saber mais sobre o relatório "Unfiltered Sleep: A Global Prioritization Puzzle" e o movimento #UnfilteredSleep visite Philips.com/WorldSleepDay.

Para mais informações:

 

Carina Sequeira – carina.sequeira@porternovelli.pt - 21 313 61 00

Frederico Seruya – frederico.seruya@porternovelli.pt - 21 313 61 00

 

Cátia Fernandes

Philips Ibérica
Comunicação, RP y RSC
Mobile: +34 672 631 80
catia.fernandes@philips.com

 

Ángeles Barrios

Philips Ibérica Diretora de Comunicação, RP y RSC

Tel: 0034 915669040

angeles.barrios@philips.com

Sobre a Royal Philips

A Royal Philips (NYSE: PHG, AEX: PHI) é uma empresa líder em tecnologias da saúde, focada em melhorar a vida das pessoas e em facilitar a obtenção de melhores resultados no processo contínuo de saúde, desde os hábitos de vida saudáveis e prevenção, até ao diagnóstico, tratamento e cuidados domiciliários. A Philips utiliza a sua tecnologia avançada e os profundos conhecimentos clínicos que tem, bem como a compreensão das necessidades do consumidor, para oferecer soluções integradas. A empresa é líder em imagem de diagnóstico, terapia guiada por imagem, monitorização e informática de saúde, bem como em saúde do consumidor e cuidados domiciliários. Com sede na Holanda, a Philips registou em 2016 vendas de 17.400 milhões de euros no seu portfolio de tecnologias da saúde e emprega atualmente cerca de 71 mil pessoas, tendo operações comerciais e serviços em mais de 100 países. Todas as informações sobre a Philips estão disponíveis em www.philips.pt