A sua RCP
é realmente boa?

É difícil saber sem dados

Um fator determinante para a sobrevivência de um paciente a uma paragem cardíaca súbita (PCS) é a qualidade da ressuscitação cardiopulmonar (RCP). Mas até recentemente, não havia uma forma objetiva de a medir.

 

O Q-CPR veio alterar esta situação.

O Q-CPR mede a qualidade das compressões de RCP. O utilizador obtém feedback em tempo real para fazer ajustes à medida que as administra. E com o HeartStart Event Review Pro, pode recolher dados e analisá-los para melhorias futuras.

 

Com um feedback objetivo, obtém as informações de que necessita para melhorar a qualidade da RCP e os resultados dos pacientes.

 

Obtenha mais informações sobre as nossas soluções para serviços de emergência médica.

"Fomos capazes de analisar toda a paragem cardíaca e de enviar uma ficha informativa. As equipas levam isto a sério e implementam o feedback nas suas atividades diárias.”
 

Scott Vivier

Chefe do serviço de emergência médica

Corpo de bombeiros de Henderson, Nevada - E.U.A.  

Contacte-nos

Dados de Contacto

* Este campo é obrigatório

Detalhes do contato

*
*
*

Detalhes da Companhia

*
*
*
*
*
*
*

Detalhes do negócio

Especifique o motivo do seu contacto para nos permitir prestar-lhe um melhor serviço.
*
*
*

O que é o Q-CPR?

 

O Q-CPR é uma ferramenta que mede os 5 elementos críticos de uma RCP de alta qualidade, identificados pela AHA em 2013. Utilizando comandos por voz e diagramas visuais de fácil interpretação, o Q-CPR dá-lhe pistas para ajustar a RCP de acordo com as diretrizes da AHA e do ECR. Obtém não só informações sobre as compressões, mas também feedback sobre ventilação para reduzir o risco de hiperventilação.

Saber mais

5 fatores essenciais para uma RCP de qualidade

 

A RCP é um componente fundamental da reanimação cardíaca e há evidências crescentes de que uma RCP de qualidade é o aspeto mais crítico. Na verdade, as variações na qualidade da RCP em comunidades e hospitais estão associadas a disparidades nos resultados de reanimação.

 

Em 2013, a AHA publicou uma declaração de consenso que define 5 fatores que definem uma RCP de qualidade. Ao identificar estes fatores, os socorristas de emergência obtêm métricas tangíveis para melhorar a probabilidade de sobrevivência do paciente e aumentar a possibilidade de uma recuperação neurológica completa.

Manter um ritmo de compressão adequado
Manter uma profundidade de compressão adequada
Permitir um recuo completo
Minimizar as interrupções
Evitar ventilação excessiva

Fazer ajustes com base em evidências reais

Existem cinco fatores para determinar a qualidade da RCP e estes podem ser medidos pelo Q-CPR e pelo Event Review Pro. Isto significa que até mesmo uma pausa pré-choque pode ser medida com precisão e sincronizada no tempo no relatório de eventos.
 

Melhorar a qualidade da RCP é uma missão contínua. Novos estudos revelam melhores formas de administrar a RCP e é possível atualizar o Q-CPR e o Event Review Pro a fim de refletir as novas diretrizes. Com estas informações, tem evidências para a tomada de decisões sobre os seus protocolos.

Dados surpreendentes conduzem a melhorias mensuráveis para o Corpo de bombeiros de Henderson

"Os nossos prestadores ficaram surpreendidos com a baixa qualidade das respetivas RCP. Antes de mais, tinham um ritmo excessivo. Também ficaram surpreendidos ao saber que se cansavam demasiado depressa e que não aplicavam pressão suficiente.”

 

Scott Vivier

Chefe do serviço de emergência médica

Corpo de bombeiros de Henderson, Nevada

Em 2008, Scott Vivier procurava uma solução tecnológica para melhorar a RCP do seu departamento. Ao utilizar o Q-CPR para feedback da RCP em tempo real e mais tarde analisar o evento com o Event Review Pro, obteve melhorias mensuráveis nos resultados dos pacientes. Scott atribui o seu sucesso a uma melhor RCP.


Leia como o fez

Tal como uma análise após o jogo para atletas profissionais, os socorristas médicos aprendem com o seu desempenho anterior em reanimação e aplicam estes conhecimentos nas reanimações futuras. A análise do desempenho em RCP tem uma ampla aplicação na melhoria da reanimação."

- Dana Edelson, MD, Diretora do Centro de Investigação Clínica para Ressuscitação de Emergência da Universidade do Centro Médico de Chicago.