Acorde revigorado

 

Na natureza, a vida diária começa quando o sol nasce e termina quando o sol se põe. No entanto, na sociedade moderna actual, precisamos frequentemente de nos levantar antes do nascer do sol. Nos dias em que o despertador toca mas ainda está escuro lá fora, pode ser difícil sair da cama.

Inspirado no nascer do sol natural, o Wake-up Light da Philips utiliza uma combinação única de luz e som para o acordar de uma forma mais natural. Este ajuda-o a sentir-se mais fresco, para que seja mais fácil sair da cama.

Como funciona o Wake-up Light da Philips?


Desperte de forma natural
A luz aumenta gradualmente dos vermelhos suaves do amanhecer, para os laranjas quentes, até uma luz amarela brilhante, durante os 30 minutos anteriores à hora de despertar definida. Isto indica ao seu corpo que chegou a hora de passar do sono para a vigília, para uma experiência natural de despertar com luz. À hora seleccionada, um som natural - ou a sua estação de rádio favorita - é reproduzido para se assegurar de que está acordado.


A sensibilidade à luz é diferente para todas as pessoas. Normalmente, ao utilizar uma definição de luz mais elevada, necessitamos de menos tempo para acordar totalmente.
Seleccione a sua intensidade de luz pretendida para acordar com base na sua sensibilidade pessoal à luz.

Resultados comprovados

 

Foi clinicamente comprovado que o Wake-up Light da Philips melhora o seu bem-estar geral depois de acordar. Vários estudos demonstraram que o Wake-up Light da Philips melhora verdadeiramente a qualidade do despertar, melhora o seu estado de espírito e fá-lo sentir mais enérgico de manhã.

 

92% dos utilizadores dizem que o Wake-up Light os acorda de forma agradável*.

88% dos utilizadores dizem que o Wake-up Light é uma melhor forma para acordar do que a que utilizavam anteriormente*.

92% dos utilizadores do Wake-up Light da Philips consideram que é mais fácil sair da cama**

 

*(Blauw Research 2008, N=477 utilizadores)
**(Metrixlab 2011, N=209 utilizadores)

As opiniões dos utilizadores

Óptima forma para acordar! Costumava despertar utilizando um despertador tradicional que me acordava em sobressalto, mas agora as minhas manhãs são menos stressantes."

 

 

Acordar facilmente. Este produto é maravilhoso, o nascer do sol colorido e o brilho melhoram o meu humor enquanto inundam o meu quarto com luz."

Acorde de bom humor e pronto para a acção enquanto o dia ainda está escuro!"

 

 

O acordar suave e delicado é um prazer. Acabou-se o sobressalto de um despertador ruidoso. Começou o acordar gradual que, sem se dar conta, o desperta delicadamente até estar totalmente acordado"

transparant_box
transparant_box

Despertar testado e comprovado

Levámos o Wake-up Light do Árctico para uma capoeira para comprovar que podemos acordar o mundo. Veja aqui o que aconteceu.

O Wake-up Light da Philips vs. o sol:

Acordar onde o sol não nasce:

Por que razão a luz é tão importante para si?


Importância da luz
Precisamos da luz para ver, mas a luz também desempenha um papel importante na regulação do nosso ritmo de dormir e despertar, na forma como nos sentimos e na nossa capacidade para utilizar o nosso cérebro.
ler mais


A luz mantém-nos em sintonia com a natureza
Luz durante o dia e escuridão durante a noite ajudam a uma boa noite de sono e a um dia cheio de energia. A maioria das pessoas reconhece que se sente muito mais enérgica durante um dia claro e com sol e que, normalmente, desfruta de um sono descansado no final do dia. Dias escuros e tristes, especialmente no Inverno, podem causar sensações de letargia, desânimo e sonolência.
ler mais


A luz faz-nos sentir activos
Uma luz brilhante a entrar nos nossos olhos aumenta o nosso estado de alerta, diminui a sensação de sono e faz-nos sentir mais enérgicos.
ler mais

Luz visível
A luz é uma radiação electromagnética visível ao olho humano. A luz branca é, na verdade, composta pela radiação de diferentes comprimentos de onda. Cada comprimento de onda é visto como uma cor diferente. Isto é perceptível quando vê um arco-íris no céu.
ler mais

 

Luz através dos olhos
A luz é necessária para a visão, mas a luz que entra nos seus olhos também tem outros efeitos de resposta não-visual à luz. Este é o maior sincronizador (ou zeitgeber) do relógio biológico no nosso cérebro e surte efeitos agudos no nosso corpo e nos níveis de energia e humor.
ler mais

 

A luz certa na altura certa do dia
Alguns dos efeitos das respostas não-visuais à exposição à luz dependem da cor da luz em combinação com a altura da exposição. Algumas cores e intensidades que são benéficas a uma determinada altura do dia podem ser prejudiciais a outros momentos do dia.
ler mais

Luz e acordar
Na natureza, a vida diária começa com o nascer do sol e o descanso chega depois do pôr-do-sol. A sociedade moderna tem diferentes horários diários. Precisamos frequentemente de nos levantar antes do sol nascer e de continuar com actividades muito depois de o sol se pôr.
ler mais


Padrões de sono
Na sociedade moderna, temos a capacidade de prolongar as horas do dia com luz utilizando iluminação artificial. Os nossos corpos não estão sincronizados com o ritmo do sol, mas sim com o nosso estilo de vida.
ler mais

Importância da luz


Precisamos da luz para ver, mas a luz também desempenha um papel importante na regulação do nosso ritmo de dormir e despertar, na forma como nos sentimos e na nossa capacidade para utilizar o nosso cérebro.

 

Para manter os ritmos de 24 horas do nosso corpo sincronizados com o ambiente natural, necessitamos de luz a alturas específicas do dia e de escuridão noutras alturas. A luz de manhã estimula os nossos ritmos a mudar para uma fase mais cedo, a luz ao final do dia muda os nossos ritmos para uma fase mais tardia.


Além disso, a exposição dos nossos olhos a luz brilhante consegue reduzir a sensação de sono em 20 a 30 minutos, independentemente da hora do dia, e pode melhorar o tempo de reacção. Em estudos de neuroimagiologia, foi demonstrado que existe um efeito directo da luz em áreas do cérebro envolvidas na cognição e na capacidade de estar alerta.


A exposição à luz através dos nossos olhos também tem um efeito claro no nosso corpo: ao início da manhã, a exposição à luz aumenta o nível da hormona de actividade cortisol, a exposição à luz à noite aumenta a temperatura corporal e o ritmo cardíaco e reduz a melatonina: a hormona que indica a noite a nível biológico.
A parte azul do espectro da luz é especialmente importante para todas estas respostas não-visuais à luz.

A luz mantém-nos em sintonia com a natureza


Luz durante o dia e escuridão durante a noite ajudam a uma boa noite de sono e a um dia cheio de energia. A maioria das pessoas reconhece que se sente muito mais enérgica durante um dia claro e com sol e que, normalmente, desfruta de um sono descansado no final do dia. Dias escuros e tristes, especialmente no Inverno, podem causar sensações de letargia, desânimo e sonolência.

 

O motivo pelo qual algumas pessoas experienciam alteração ligeiras nos níveis de energia, sono e humor no Inverno e outras não é desconhecido. Também não é claro se a falta de luz é efectivamente a causa desses sintomas.  O que se sabe é que a exposição à luz através dos olhos - quer seja luz do sol ou de fontes de luz artificial - tem a capacidade de contrariar sensações de um bem-estar reduzido.


Em pessoas que sentem as alterações sazonais, uma luz brilhante durante os dias curtos de Inverno, e em especial durante a manhã, pode combater os baixos níveis de energia e melhorar o humor. Com uns breves 30 minutos de luz já é possível aumentar os níveis de energia subjectivos.


Se reconhecer um padrão anual de sensações de fadiga, maior necessidade de sono e distúrbios ligeiros de humor no Inverno, o ideal será iniciar a exposição com 20 a 30 minutos de luz brilhante de manhã, por volta da hora do pequeno-almoço, assim que surgirem os primeiros sinais do Outono.

A luz faz-nos sentir activos


Uma luz brilhante a entrar nos nossos olhos aumenta o nosso estado de alerta, diminui a sensação de sono e faz-nos sentir mais enérgicos.

 

Isto acontece durante o dia e durante a noite. De manhã, quando os olhos ainda estão adaptados à escuridão, uma intensidade de luz relativamente moderada - como a luz do Wake-up Light - pode ser o suficiente para activar o corpo e reduzir a sensação de sono. Durante o dia, temos de procurar uma luz muito mais brilhante para aumentar a estado de alerta, como a luz fornecida pelos dispositivos EnergyLight da Philips ou pela luz brilhante do sol.

Luz visível


A luz é uma radiação electromagnética visível ao olho humano. A luz branca é, na verdade, composta pela radiação de diferentes comprimentos de onda. Cada comprimento de onda é visto como uma cor diferente. Isto é perceptível quando vê um arco-íris no céu.

 

Comprimentos de onda curtos são vistos como luz azul (~430-500 nm), comprimentos de onda médios são verdes (~520-565 nm) e comprimentos de onda longos são vermelhos (~625-740 nm). O nosso olho possui três foto-receptores (cones) para ver estas cores e bastonetes que são sensíveis a níveis de luz reduzidos, mas não a cores. Um foto-receptor separado contém melanopsina e é responsável pelos efeitos de respostas não-visuais à luz. Este foto-receptor é mais sensível à luz azul com um comprimento de onda de ~480 nm.

A luz diurna natural inclui uma continuidade de comprimentos de onda visíveis de cerca de 380 nm a 770 nm. Outras fontes de luz, como as lâmpadas fluorescentes, podem ter alguns picos proeminentes nas gamas azul, verde e vermelha, em vez de um espectro contínuo e, apesar disso, podem ser visualmente perceptíveis de uma forma equivalente. Fontes LED brancas de banda alargada têm normalmente um pico amplo de azul e um pico ainda mais amplo sobre o restante espectro visível. Dependendo da quantidade dos diferentes comprimentos de onda numa fonte de luz, a luz branca pode ser vista como mais "fria" (= mais luz azul) ou mais "quente" (= mais luz vermelha).

Ecrãs de computadores, tablets e smartphones emitem uma quantidade relativamente grande de luz azul em comparação com outras fontes de luz artificiais. No entanto, quando olha para a janela durante o dia ou quando está no exterior, os seus olhos são expostos a, no mínimo, um coeficiente 5 vezes maior de luz azul do que quando está a olhar para um ecrã.

Luz através dos olhos


A luz é necessária para a visão, mas a luz que entra nos seus olhos também tem outros efeitos de resposta não-visual à luz. Este é o maior sincronizador (ou zeitgeber) do relógio biológico no nosso cérebro e surte efeitos agudos no nosso corpo e nos níveis de energia e humor.


A informação da luz chega ao cérebro através dos olhos. No olho, esta passa primeiro pelo cristalino e, em seguida, chega à retina. A retina é composta por várias camadas de células. A última camada é composta por foto-receptores que são responsáveis pela visão. Estes são os bastonetes, utilizados para a visão com pouca luz, e os cones, utilizados para a visão com mais luz e para as cores.
A caminho da última camada, a luz passa pela primeira camada. Esta camada contém células ganglionares que integram todas as informações da luz dos bastonetes e dos cones. Para além disso, algumas destas células (aprox. 3%) são também sensíveis à luz. Estas contêm uma substância fotossensível denominada melanopsina que é o componente responsável pela sinalização das informações da luz. A melanopsina é mais sensível à parte azul do espectro da luz.
Os corpos destas células de melanopsina são bastante grandes e possuem uma grande rede de ramificações para captar todas as informações ambientais da luz. As informações sobre a luz e a escuridão são transportadas através do nervo óptico desde a retina até ao relógio biológico no hipotálamo e a várias outras áreas cerebrais envolvidas em respostas não-visuais à luz.

A luz certa na altura certa do dia


Alguns dos efeitos das respostas não-visuais à exposição à luz dependem da cor da luz em combinação com a altura da exposição. Algumas cores e intensidades que são benéficas a uma determinada altura do dia podem ser prejudiciais a outros momentos do dia.

A exposição à luz de manhã, especialmente à luz com uma cor mais azulada, é necessária para a maioria das pessoas acordar correctamente, sentir mais energia e manter o ciclo de sono e vigília sincronizado com o ciclo natural de 24 horas. Isto não se aplica a pessoas mais activas de manhã, elas devem evitar luzes muito fortes e muito azuis de manhã.


A exposição à luz durante o dia é benéfica para melhorar os níveis baixos de energia e o humor, se necessário. Quanto mais azulada for a luz branca, menor é a intensidade necessária para obter uma reacção. Níveis demasiado elevados de luz azul e a exposição dos olhos a luz UV devem ser evitados para proteger os olhos.


A exposição a luz brilhante - em especial a luz azulada - ao final do dia é desaconselhada, na maioria dos casos. A maioria das pessoas já tem tendência para ir dormir demasiado tarde e a exposição a luz brilhante à noite aumenta ainda mais os níveis de alerta. Por sua vez, isto aumenta o risco de ir dormir tarde e de encurtar as horas de sono. Apenas as pessoas que sofrem de altos níveis de sono ao final do dia e de despertar muito cedo podem ser ajudadas através da exposição a luzes brilhantes ao final do dia.


A exposição à luz, em especial à luz azulada, à noite deve ser evitada ao máximo. Isto pode aumentar os níveis de energia e reduzir o sono, mas também pode provocar uma grande mudança indesejada das fases do relógio biológico e afectar os parâmetros biológicos, como a temperatura corporal, o ritmo cardíaco e a concentração de melatonina. A longo prazo, isto pode representar riscos para a saúde.


Níveis demasiado elevados de luz azul e a exposição dos olhos a luz UV devem ser evitados para proteger os olhos. Os dispositivos EnergyUp foram concebidos de forma a não representarem qualquer risco para olhos saudáveis de acordo com as normas internacionais de segurança fotobiológica. Isto deve-se a um brilho uniforme do ecrã luminoso sem zonas sobreaquecidas, a uma selecção de cor que evita o comprimento de onda curto azul mais perigoso e à ausência total de luz ultra violeta.  

Luz e acordar


Na natureza, a vida diária começa com o nascer do sol e o descanso chega depois do pôr-do-sol. A sociedade moderna tem diferentes horários diários. Precisamos frequentemente de nos levantar antes do sol nascer e de continuar com actividades muito depois de o sol se pôr.

 

Estas mudanças naturais graduais de escuro para luz e novamente para escuro são, no entanto, importantes indicações para o funcionamento perfeito dos nossos corpos e para a nossa sensação de bem-estar. O Wake-up Light da Philips leva a essência do nascer do sol natural para o seu quarto: o aumento gradual da intensidade da luz antes de despertar está a preparar o corpo delicadamente para acordar, resultando em mais energia e num despertar fácil e natural. A sensação geral de bem-estar está a ser influenciada positivamente pela luz e o humor matinal é melhorado. 

Padrões de sono


Na sociedade moderna, temos a capacidade de prolongar as horas do dia com luz utilizando iluminação artificial. Os nossos corpos não estão sincronizados com o ritmo do sol, mas sim com o nosso estilo de vida.

 

Muitas pessoas aumentam as suas actividades diárias até à noite, indo para a cama mais tarde e, em caso de obrigações profissionais ou escolares no dia seguinte, encurtando as horas de sono. Um descanso insuficiente influencia o rendimento durante o dia e, frequentemente, o fim-de-semana é a única altura em que tentamos compensar o nosso sono profundo. A redução da quantidade de luz durante as últimas horas antes de se deitar e a exposição a luz brilhante nas primeiras horas da manhã pode ajudá-lo a ir dormir atempadamente e a sentir-se mais alerta e enérgico ao início do dia. Ao manter um estilo de vida normal com baixas variações da hora de deitar, exposição de luz suficiente durante o dia, baixa exposição de luz à noite e escuridão durante a noite, poderá obter um bom equilíbrio entre o descanso e a actividade, reduzindo uma variedade de riscos para a saúde.

Resultados comprovados: estudos seleccionados

Pesquisa sobre a:

Depressão de Inverno >

Melancolia de Inverno >

Luz do dia e a energia >

Luz matinal >

Despertar com luz >

Pesquisa sobre a depressão de Inverno

Resultados comprovados: estudos seleccionados

Esta análise sistemática da literatura conclui que a terapia com luz brilhante (luz branca com intensidade de 1500 lux a 10 000 lux) é eficiente para o tratamento da depressão de Inverno com um efeito comparável ou superior a intervenções farmacêuticas.
Golden, R. N. et al. The efficacy of light therapy in the treatment of mood disorders: a review and meta-analysis of the evidence. American Journal of Psychiatry 162, 656–662 (2005).

 


Uma terapia matinal padrão de luz branca de 2 semanas com 30 minutos por dia com a EnergyLight da Philips (10 000 lux, 5000 K) proporciona alívio aos pacientes com depressão de Inverno da mesma forma que uma luz branca enriquecida com azul da mesma iluminância (10 000 lux, 17 000 K). Adicionar mais luz do que a fornecida pela EnergyLight não acelera o efeito.
Gordijn, M. C. M. et al. The effects of blue-enriched light treatment compared to standard light treatment in seasonal affective disorder. Journal of Affective Disorders 136, 72–80 (2012).

Uma luz branca de baixa intensidade mas enriquecida com azul (750 lux, 17 000 K) e uma luz brilhante padrão (Philips EnergyLight, 10 000 lux, 5000 K) são igualmente eficientes no tratamento da depressão sazonal. Tratamentos de 30 minutos por dia de manhã durante 2 semanas não revelaram diferenças no processo de melhoramento dos sintomas da depressão sazonal. Este resultado indica que para um tratamento eficiente poderá não ser necessária a aplicação de iluminâncias extremamente altas, mas sim do espectro de luz certo.
Meesters, Y. et al. Low-intensity blue-enriched white light (750 lux) and standard bright light (10 000 lux) are equally effective in treating SAD. A randomized controlled study. BMC Psychiatry 11, 17 (2011).

Este é o primeiro estudo que demonstra que a terapia da luz LED azul é eficiente para o tratamento da depressão de Inverno. O grupo de controlo recebeu uma luz LED vermelha de intensidade reduzida. A terapia foi aplicada durante 3 semanas, 45 minutos por dia e a luz azul demonstrou a sua eficácia em comparação com as condições do controlo.
Glickman, G. et al. Light Therapy for Seasonal Affective Disorder with Blue Narrow-Band Light-Emitting Diodes (LEDs). Biological Psychiatry 59, 502–507 (2006).


Neste teste, a luz LED apenas azul do goLITE blu foi comparada com uma luz LED branca enriquecida com azul que possuía a mesma quantidade de azul e ainda um espectro amplo de comprimentos de onda maiores resultando numa iluminância 7 vezes superior (aprox. 700 lux vs. 100 lux da goLITE blu). Ambas as terapias (3 semanas, 45 minutos por dia) foram igualmente eficientes no tratamento da depressão sazonal.
Anderson, J. L. et al. Lux vs. wavelength in light treatment of Seasonal Affective Disorder. Acta Psychiatrica Scandinavica 120, 203–212 (2009)

Os dois estudos acima (por Anderson e por Glickman) demonstraram que a goLITE blu é eficiente no combate à depressão sazonal quando utilizada durante 45 minutos por dia durante 3 semanas. Ficou por esclarecer qual o desempenho desta em comparação com a terapia padrão de luz branca de 30 minutos por dia a 10 000 lux. Este estudo comparou estas duas modalidades de terapia da luz, azul vs branca, ambas de 30 minutos por dia durante uma semana (5 manhãs). Não foram encontradas diferenças entre a eficácia dos dois tratamentos, as taxas de resposta foram idênticas. Uma semana após o último tratamento, o estado dos pacientes melhorou mais em comparação com o último dia de terapia da luz.
Meesters, Y. & Duijzer, W. The Effects of Low Intensity Monochromatic Blue Light Treatment Compared to Standard Light Treatment in SAD, SLTBR Abstracts 2011, p.52

Pesquisa sobre a melancolia de Inverno

Resultados comprovados: estudos seleccionados

Pessoas com problemas de energia sazonais (sub-depressão sazonal) foram tratadas durante 2 semanas com a terapia de luz brilhante de manhã ou de tarde (2500 lux, aprox. 2:30 horas por dia) nos seus locais de trabalho. Depois de duas semanas, os seus sintomas de melancolia de Inverno foram reduzidos e o seu humor subjectivo, níveis de energia, estado de alerta, produtividade e qualidade do despertar melhoraram. Não houve diferenças nos efeitos dos grupos que recebiam o tratamento de manhã ou de tarde.
Avery, D. H. et al. Bright light therapy of subsyndromal seasonal affective disorder in the workplace: morning vs. afternoon exposure. Acta Psychiatrica Scandinavica 103, 267–274 (2001)

Este estudo comparou as duas luzes energéticas da Philips, azul vs branco, ambas de 20 minutos por dia durante uma semana (5 manhãs em casa). Não foram encontradas diferenças entre a eficácia dos dois tratamentos, as taxas de resposta foram idênticas. Uma semana após o último tratamento, o estado dos utilizadores melhorou mais em comparação com o último dia de terapia da luz.
Duijzer, W. & Meesters, Y. The Effects of Low Intensity Monochromatic Blue Light Treatment Compared to Standard Light Treatment in Sub- syndromal SAD; SLTBR Abstracts 2011, p.33

Ricerca sulla luce diurna e sull'energia

Resultados comprovados: estudos seleccionados

Um universo de 145 participantes saudáveis utilizaram a EnergyLight da Philips (2500 lux) durante, no mínimo, 1 hora por dia e, no mínimo, 5 dias por semana nos seus locais de trabalho durante 2 (de 4) períodos de 4 semanas (nos outros 2 períodos de 4 semanas, não utilizaram luzes extra nos seus locais de trabalho). Mesmo para participantes sem variações sazonais de humor e energia, a exposição à luz brilhante melhorou a vitalidade e o humor em comparação com as semanas sem luz extra.
Partonen, T. & Lönnqvist, J. Bright light improves vitality and alleviates distress in healthy people. Journal of Affective Disorders 57, 55–61 (2000).

 


Este estudo laboratorial compara os efeitos da exposição à luz brilhante (5000 lux) durante o dia e à noite em diferentes medições psicológicas e fisiológicas. Enquanto o impacto da luz brilhante sobre diferentes funções corporais varia dependendo da altura do dia, o efeito no combate ao cansaço é universal durante o dia e a noite.
Rüger, M. Time-of-day-dependent effects of bright light exposure on human psychophysiology: comparison of daytime and nighttime exposure. AJP: Regulatory, Integrative and Comparative Physiology 290, R1413–R1420 (2006)

Funcionários de escritório saudáveis foram expostos a duas novas condições de iluminação - luz branca enriquecida com azul (17 000 K) e luz branca normal (4000 K), 4 semanas cada. Na luz enriquecida com azul, os participantes relataram melhorias na capacidade subjectiva de alerta, humor positivo, melhor desempenho, redução da fadiga à noite, maior concentração e menos dificuldade em estar atento.
Viola, A.U. et al. Blue-enriched white light in the workplace improves self-reported alertness, performance and sleep quality. Scand J Work Environ Health 34, 297–306 (2008)

Pesquisa sobre luz matinal

Resultados comprovados: estudos seleccionados

Os dados mais recentes sobre os efeitos da luz matinal azul foram resumidos nesta documentação de conferência. Para além da eficácia para os problemas de Inverno, são descritas e discutidas as vantagens da luz azul matinal para pessoas com um cronotipo tardio que pretendem ajustar os seus padrões de sono.
Transferir pdf.

Hommes, V. et al. Blue light implemented, 8. Symposium Licht und Gesundheit, Berlin 2014, p.184

Pesquisa sobre despertar com luz

Resultados comprovados: estudos seleccionados

Wake-up_light

O documento descreve dois sub-estudos com Wake-up Lights da Philips a avaliar (A) 2 semanas de utilização em casa em comparação com acordar sem luz e (B) 2 semanas de utilização em casa a diferentes intensidades de luz com um aumento gradual desta (0 lux, 50 lux e 250 lux). Os resultados principais de ambos os grupos confirmaram que acordar com uma luz que aumenta gradualmente de intensidade antes da hora de despertar tem uma melhor qualidade geral do que sem luz; o nível de energia dos utilizadores ao acordar é melhorado, os participantes demonstraram mais facilidade em levantar-se, melhor humor, produtividade e qualidade das interacções sociais. Um período transitório de entorpecimento depois de acordar, denominado inércia do sono, foi reduzido quando os participantes utilizaram o Wake-up Light. Estes efeitos extraordinários não podem ser explicados pelo avanço do relógio biológico provocado pela luz, que foi uma das primeiras hipóteses para o funcionamento do Wake-up Light - como intervenções.
Gimenez, M. C. et al. Effects of artificial dawn on subjective ratings of sleep inertia and dim light melatonin onset. Chronobiology International 27, 1219–1241 (2010)

Até que ponto os efeitos do Wake-up Light podem ser atribuídos à luz que aumenta de intensidade gradualmente antes da hora de despertar, e até que ponto influencia o facto de a luz estar ligada quando os olhos se abrem - estas foram as questões centrais deste estudo laboratorial do sono controlado. Este demonstrou que os efeitos de alerta e de actividade estão principalmente ligados ao aumento gradual da intensidade da luz enquanto os utilizadores ainda estão a dormir e que estes efeitos podem ser notados directamente na primeira utilização. Várias medições fisiológicas, como a alteração da temperatura da pele ao acordar e depois de acordar, acompanham o sinal de aviso do amanhecer. Gravações do sono demonstram que, durante o período em que a luz aumenta gradualmente, os utilizadores passam mais tempo no estado desperto antes de finalmente acordar, do que quando passam os últimos 30 minutos do seu sono na escuridão. Em média, eles acordam efectivamente apenas 2 minutos mais cedo do que quando usam apenas o alarme sonoro, mas sentem-se mais preparados para acordar.
Van de Werken, M. et al. Effects of artificial dawn on sleep inertia, skin temperature, and the awakening cortisol response. Journal of Sleep Research 19, 425–435 (2010)

A nova gama Philips Wake-up Light utiliza tecnologia LED, permitindo um espectro adaptado de luz durante o sinal de amanhecer que aumenta gradualmente, começando com um vermelho profundo, em seguida laranja, até uma luz branca amarelada na etapa final. Os efeitos de alerta agudos deste novo amanhecer colorido foram verificados num estudo da Universidade de Basel. Sob condições laboratoriais controladas, foi demonstrado pela primeira vez que a luz à hora de despertar e perto desta pode ter determinados efeitos prolongados no desempenho e no bem-estar ao longo do dia. Foi descoberto que a hormona de actividade cortisol tem níveis elevados durante as primeiras horas depois de acordar quando o Wake-up Light é utilizado, em comparação com um acordar na escuridão.
Gabel, V. et al. Effects of Artificial Dawn and Morning Blue Light on Daytime Cognitive Performance, Well-being, Cortisol and Melatonin Levels. Chronobiology International, 30(8), 988–997 (2013)

Os Wake-up Lights foram utilizados num estudo com adolescentes, 103 alunos entre os 7 e os 18 anos. Durante a semana em que utilizaram o Wake-up Light, os alunos acordaram mais cedo, sentiram-se mais alerta ao acordar, levantaram-se com mais facilidade e afirmaram sentir-se mais alertas durante a segunda aula na escola, em comparação com a semana em que utilizaram o seu método habitual para acordar. Pessoas mais activas à noite beneficiaram mais do que as pessoas mais activas de manhã, mas as melhorias estavam presentes no grupo como um todo.
Fromm, E. et al. Evaluation of a dawn simulator in children and adolescents. Biological Rhythm Research 42, 417–425 (2011)